Maquetes de Papel | Arquitetônico

 

LIVROS


Quando eu primeiro ouvi falar do livro Maquetes de Papel (graças ao Diogo, redator deste site), a primeira coisa que me veio a cabeça foi que eu finalmente iria aprender a fazer maquetes decentes para a faculdade. Bem, eu estava errado. Minhas maquetes provavelmente continuarão medíocres e meus amigos continuarão me perturbando por isso. Mas por outro lado, saberei o propósito e o quanto elas me foram importantes na construção de meu projeto.

Paulo Mendes da Rocha – arquiteto aclamado mundialmente – foi convidado certo dia para ministrar um curso em Curitiba, na Casa Vilanova Artigas. Falou durante horas sobre seus projetos e ideias e de como pensava as maquetes. Essa aula, pelo o que eu li, deve ter sido extraordinária e foi a partir dela que surgiu o livro. Uma prova, um testemunho de Paulo sobre sua forma de pensar arquitetura e de como a maquete está ali para nos ajudar.

A aula, em Curitiba

Mas a maquete que o arquiteto nos compartilha no livro não é aquela maquete para se apresentar em trabalhos ou para um cliente. É a maquete – como ele próprio intitula – que “ninguém pode ver, só você”. Aquela que serve para nos auxiliar na hora de conferir as proporções de nosso projeto, verificar sua composição com o entorno, as sombras projetadas. Ninguém pode ver porque ela deve ser feita com os materiais que você possuir ali, papel, cola, durex.. Um estudo simples que é capaz de nos fazer visualizar fisicamente o que tínhamos em mente e em nossos croquis.

Praça dos Museus – USP

Resumidamente, é isso que o livro trata sobre maquetes. E aí que está a beleza e a parte que mais me agradou, pois o resto das páginas serve para Paulo Mendes nos contar cada procedimento que pensa em seus projetos. A arquitetura desta incrível pessoa vem da multidisciplinaridade. Acompanhando o raciocínio do arquiteto quando conta no livro sobre o projeto da Praça dos Museus da USP (finalmente aprovado) e do Reservatório Elevado em Urânia, é evidente o seu amplo conhecimento em diversos assuntos. E o projeto, segundo ele, não deve fugir disso. Na hora de elaborar a ideia, todos os seus pensamentos devem estar focados ali. Lembranças de sua infância, um artigo que leu na revista, um edifício que visitou, coisas assim podem fazer parte e influenciar a elaboração de um projeto. Apesar de curto (eu gostaria que fosse maior!), as questões levantadas no livro são de extrema importância e me influenciaram muito durante a leitura. Cabe a nós sempre estar aumentando e buscando novas fontes de inspiração para nossos trabalhos.

Reservatório Elevado em Urânia

E falando em inspiração, não há livro melhor para ler e se inspirar do que Maquetes de Papel, de Paulo Mendes da Rocha. Só lendo mesmo para conseguir entender um pouco do que passa na mente deste grande arquiteto e agregar um pouco mais de informação para o seu próximo projeto. O Arquitetônico RECOMENDA.

  • Bruna

    Lucaas seu mau caráter, se suas maquetes são medíocres eu nem faço maquete mais.

    Mas de fato, adorei o livro. De certo modo, aspectos como conforto e definição de espaços projetuais são auxiliados exatamente pelo uso dessas maquetes de papel, porque como dizem, quando projetamos, o papel, o Cad, aceitam tudo, todas as medidas, todas as idéias, mas muitas vezes não temos a noção de espaço para saber como o conjunto de ambientes projetados se comporta na realidade, como o passante, usuário daquele espaço verá e vivenciará o mesmo. A.D.O.R.E.I e recomedo também!!!!

    • Patricio Rivero

      Caros Bruna e amigos: Eu sou de Ecuador e estive recentemente no Brasil, para desfrutar de uma viagem de turismo no Rio de Janeiro e São Paulo, e comprei vários livros. No entanto, eu não poderia comprar o livro Maquetes de Papel, de Paulo Mendes da Rocha, porque o livro estava esgotado em livrarias. Você sabe se qualquer endereço de e-mail onde você pode baixar o livro para consulta acadêmica?

      Meu email é:

      patrivero@yahoo.com

      Muito obrigado, abracos

      Patricio Rivero

  • Diogo

    Sim, é um livro muito bom, e pode ser lido em uma tarde! Realmente o foco é mostrar como a maquete auxilia na produção arquitetônica. Paulo Mendes, explicando como realiza os projetos da ideia inicial até a maquete, mostra como a curiosidade e os conhecimentos sobre artes, literatura, ciência, física, estrutura e tecnologia podem resultar em bons projetos arquitetônicos. Creio que os bons arquitetos sempre serão os que não se limitam à arquitetura, são curiosos por entender o mundo, as artes e as ciências!

    • Bruna

      Diogo Filósofo!!!

  • João Neto

    O que o Diogo falou na sua última frase é uma verdade que não só os arquitetos devem ter em mente, mas que todos os Design, todos os artistas visuais e etc… Existe um mundo fora do nosso a ser explorado…

    Lucas suas maquetes não devem ser mediocres com um post desse… Nunca!

  • edicleia

    adoooreiiiii…..by:edicleia pop star….

  • http://rebelde24 roberta

    é muitooooooo chatoooooooooooooooooo como vocês podem gosta???????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

Maquetes de Papel

-







©2012 Arquitetônico. Todos os direitos reservados. Não é permitida cópia ou reprodução sem autorização
Licença Creative Commons